Herbalife propõe pagar 15 milhões de dólares para por fim a ação que a acusa de um suposto esquema de pirâmide




Herbalife propõe pagar 15 milhões de dólares para por fim a ação que a acusa de um suposto esquema de pirâmide.

Em acordo preliminar concedido, nesta sexta(31), a Herbalife propõe pagar US $ 15 milhões de dólares para resolver uma batalha judicial de 18 meses ao longo de um processo de ação coletiva movida por ex-distribuidores nos Estados Unidos, além de mais US$ 2,5 milhões para devolução de produtos. 

O processo fora movido em abril de 2013 por um distribuidor e ganhou força após mais quatro pessoas entrarem, em junho deste ano, com o processo alegando que a empresa de nutrição e suplementos está executando um suposto esquema de pirâmide.

Em uma ação coletiva movida no tribunal federal nos Estados Unidos contra a empresa de suplemento nutricional, Herbalife, chegou em acordo, nesta sexta-feira(31).

Embora a ação de classe continua, a empresa propôs pagar cerca de 15 milhões de dólares para resolução do caso movido por distribuidores independentes que acusam a companhia de formação de crime financeiro.

Além disso, na negociação, envolve mais US$ 2,5 milhões que serão pagos para coberturas na devolução de produtos de acordo com ação judicial que concedeu a aprovação preliminar para a liquidação.

Esta decisão da empresa veio após 18 meses de julgamento, quando um ex-distribuidor, californiano Dana Bostick, 68 anos, apresentou queixas, com 68 páginas, sob corrupção e extorsão federal contra a empresa, em abril de 2013, baseando na lei "Cadeia para Todos". Ação fora executada no tribunal federal de Los Angeles, sede da multinacional que segundo dados já levantou mais de US$ 4 bilhões dólares em seu modelo de negócio.

Bostick, empreiteiro geral aposentado, alegou que não conseguiu fazer dinheiro, porque "ele estava condenado desde o início de um plano de marketing Herbalife que premia sistematicamente recrutar mais vendas no varejo."

Na época um porta-voz da empresa disse que a denúncia é "sem mérito" e que "vai defender vigorosamente a si mesmo."

A Herbalife já havia inicialmente tentado uma negociação para fechamento do caso judicial, mas teve o seu movimento rejeitado em outubro, quando o juiz Beverly Reid O'Connell afirmou que sentiu que " as alegações de Bostick foram significativas o suficiente para avançar em direção a julgamento '.

Em junho deste ano, mais quatro ex - distribuidores se juntaram ao processo da a ação de Bostick, criando o status de ação coletiva.

Na liquidação do valor concedido em aprovação preliminar, a Herbalife sustenta que "o acordo"não contém uma admissão de responsabilidade ou irregularidade por parte da empresa" que completou:

"O custo potencial, bem como a distração, perturbações e carga de litígio prolongado sobre a empresa e sua equipe de gestão, levou a empresa a decidir que os termos estabelecidos no acordo de pagamento, desde que o melhor caminho para seguir em frente", disse Herbalife em um comunicado nesta sexta-feira.

Ainda sob os termos de acordo, a Herbalife também fará "inúmeras alterações" ao seu modelo de negócio junto aos seus afiliados distribuidores.

Quanto o pagamento de valores, os custos honorários dos advogados é de 30% do valor da liquidação, ficando então o restante de US$ 11, 9 milhões para "as vitimas" do caso e que não fora revelado como esse recurso será dividido.

Em 2013, um gestor de fundos de hedge ,havia feito uma acusação na empresa de pratica de crime financeiro de um bilhão de dólares de suas ações. Isso só por não ser ouvido durante uma teleconferência da Herbalife.

O caso nos Estados Unidos no Tribunal Distrital Central District of California é Dana Bostick vs. Herbalife International of America Inc. et al CV 13-02488-BRO. 

Fonte da Informação:Web Rádio Multinível 

←  Anterior Proxima  → Página inicial